sábado, 1 de outubro de 2011

VIDA DE PEDRA

DURA VIDA

A vida e labuta não menos dura do que a dos montantes pedreiros, que extraíam a pulso, ferro e fogo a pedra dos montes, encontra-se também no destino do seu produto acabado, extraído das pedreiras.
 
A pedra destinada à construção civil, onde os operários a encastelavam na construção de imóveis. Hoje, outros materiais vieram substituir a pedra, levando a pouco e pouco ao desaparecimento da sua extracção e dos artistas que a retalhavam e transformavam.
Mas também aí, nas obras, são as calosas mãos que vão criando a riqueza do património nacional, na construção civil, dos imóveis, pontes, túneis, auto estradas, fortalezas … cidades atrás de cidades, motor essencial da economia e da qualidade de vida das populações.

Afinal também por aí andei, nas pedreiras e nas obras, a partir dos onze anos, feito pequeno operário, no tempo em que as crianças tinham no trabalho mais uma forma ocupacional didáctica e construtiva, educacional. E recebia vaidosamente a minha féria semanal, que contribuía para o sustento da família de nove almas.
Por uns e por outros, deixei correr a pena da minha humilde veia poética para que, enfim, lembrasse e homenageasse esta “Dura Vida”.

                           DURA VIDA

 
Calosas mãos, sempre entorpecidas,
Seca a pele dura pelo cimento,
É também a branca cal esquecimento,
Só se mantém o saber em mãos feridas.

Saber de ti, qualidades esquecidas:
Noutros há onde não há esquecimento,
Que te dão, com fim no lucro, sofrimento:
Dilatando de riqueza ócias vidas.

Mais um dia sobrevives e são doridas,
As mãos que ao mundo dão aumento;
Dissipa-se o que é teu e de direito,
Restando a força nessa côdea que mastigas.

Sobre o solo as riquezas são erguidas,
Porque lutas contra a vida, contra o tempo:
De sadia existência há impedimento,
Quando às mãos que as cria são devidas.

Dão-te valor dóceis palavras fingidas!
Falsas razões, vás, que te são tormento:
Dá-te a fome obrigado ensinamento
E morrendo vais de forças emagrecidas.


Aos operários da construção

Sem comentários:

Enviar um comentário