terça-feira, 10 de janeiro de 2012

DEPENDENTE

 
 
Meu companheiro e amigo,
De mente manipulada,
Nunca me zango contigo,
Mas teu caminho não sigo,
Tua vós por outro fala.

Dão-te veneno a beber,
E tu fazes-lhes a vontade,
Esqueces que o saber,
A razão tem que exercer,
P’ra construir a verdade.

Mesmo assim sou teu amigo,
Como ages eu lamento.
Entender-me mais contigo,
Quando a verdade te digo,
Recusas entendimento.

Não sabes ser o que queres,
Nem seres tu, estares contigo:
Pois aquilo que fizeres,
E tudo quanto disseres,
É servir teu inimigo.
José Faria

Sem comentários:

Enviar um comentário