terça-feira, 3 de janeiro de 2012

DIÁLOGO ENTRE TRÊS SENHORAS

A FÉ, A PAZ E A TRANQUILIDADE


Estava a paz sentada meditando,
No que sofria desde que nasceu:
Sobre guerras dos homens que matando,
Quando a fé ali lhe apareceu

- Não chores paz, já não adianta!
O mal e bem se vai prostrando.
Guerra e paz há sempre tanta,
E o homem sempre se enganando.

Se me tiveres por perto saberás,
Acreditando assim terá que ser!
Já o homem não sabe viver
Sem conflito, não sabe o que faz.

A tranquilidade que ia chegando,
Ouviu conversa entre fé e paz
Junto a ambas lá se foi sentando,
Meter conversa já não foi capaz.

Estranhando o silêncio quis a fé,
Saber da tranquilidade opinião.
Porque chora a paz sobre o que é
Este mundo de guerra e confusão?

Não há volta a dar-lhe, essa é a razão,
Porque o homem em si já não tem fé,
Vive à pressa em aceleração
Já não sabe a sua origem e o que é!

 José Faria

Sem comentários:

Enviar um comentário