sábado, 28 de janeiro de 2012

PAI NATAL ABRAÇOU A CIDADE



Vestiu-se a cidade de Natal,
O Porto de barbas e capuz.
Aportaram à cidade sem igual
E do vermelho alegre fez-se luz.

E veio até do Sul, a capital,
À vontade dos tripeiros fazer juz;
O alfacinha vestido à pai Natal
E do vermelho e branco se fez luz.

E de novo este gesto tocou fundo,
O coração de estar e ser pai bom
Um gesto oferecido a todo o mundo:

Os avós são o símbolo mais profundo
Que nos legam valores e tradição,
Nas acções de amor, do coração.
 José Faria

2 comentários:

  1. Prezado José Faria:

    Tendo encontrado seu blog por acaso, e havendo nele este belo poema de Natal, não posso deixar de cumprimentá-lo, tanto mais que também do lado de cá do Atlântico temos um José Faria (Nunes), meu sogro e autor desse conto natalino que tive a honra de publicar em meu blog:

    http://arquivoscriticos.blogspot.com.br/search?q=carneirinho

    Aguardamos, humildemente, sua visita.

    Um abraço fraterno,

    Ravel Giordano Paz

    ResponderEliminar
  2. Obrigado. Perdoe a demora. Abraço poético.

    ResponderEliminar