terça-feira, 3 de janeiro de 2012

PARQUE COM MAUS CHEIROS


Não fossem os maus odores
Quase sempre à sexta-feira
Que no Parque dos Amores
Escorrem pela ribeira

Havia mais manutenção
Mais passeio e caminhada
Por boa musculação
À noite ali mais suada

Mas é sempre à sexta-feira
Que a descarga feita à pressa
Tinge de negro a ribeira
Que vai para o Rio Leça

O mau cheiro vai ao ar
É nafta de tingição
Que janelas vêm fechar
Das torres de habitação

Os adultos são primeiros
Que saem dali para fora
Mas mais fortes os maus cheiros
Já mandou todos embora.
José Faria

Sem comentários:

Enviar um comentário