segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

OUVEM-SE PASSOS...


 
 

 Ouvem-se passos sistematicamente,
Passos que passam pela vida
De toda a gente.
Pé ante pé, passo a passo,
Ou a passo de corrida…
Estardalhaço!?

São passos que causam medo,
Horror, chaga e ferida.
Ouvem-se passos a todo o tempo.
É doentio, é mordida.

Ouvem-se passos de manhã ao acordar,

Toda a manhã, à tarde e à noite,
Até de madrugada.
São passos estardalhaços.

Ó pesadelo nacional crispado nos passos a passo!?
Toque-toque… toque-toque…!
Não param os passos já sem valência,
Nesta torvolência de continua exigência!
De temor, arrogância, poder e teimosia;
Toque-toque… toque-toque…!?

São pesadelo estes passos que desatam laços,
Que fazem da verdade fantasia.
Ouvem-se passos sistematicamente.
A toda a hora do dia.
São pesadelo social constante,
De salvação nacional urgente,
A atropelar toda a gente,

Passos incertos, sem juízo ou horizonte;
Ouvem-se passos na cidade
E a monte…
Ouvem-se Passos de estardalhaços.
E mantem-se seca a fonte.

 José Faria