domingo, 13 de setembro de 2015

CHUVA MANSA


 
 
MANSA CHUVA

Já chegou a chuva de mansinho
A refrescar os prados e os montes
E a assentar a poeira do caminho,
Encher de água fresca as suas fontes.

Já desperta o desejo pelo gosto,
De pedalar por aí encharcadinho;
Sentir a água fresca sobre o rosto,
De os charcos cortar e abrir caminho.

Rolar na lama de quelhas e vielas,
Sentir a graça e alegria de viver,
Com a borra da terra nas canelas,
E a força desportiva por prazer.

Já chegou e cai suavemente;
Rejuvenesce os montes e os prados,
Toda a terra e seus habitantes.

Divina dádiva chega a toda a gente,
E aos frutos da terra renovados,
São Natureza, milagres constantes.

 José Faria

Sem comentários:

Enviar um comentário