segunda-feira, 23 de novembro de 2015

TERRA PARADA












Aquela terra,
Sem nada saber,
Cansada de nada
Já sem dar nas vistas;
Continua cansada,
Por nada fazer
E é freguesia de oportunistas.

De gente que fura
Que sabe vencer,
Amigos lacaios
Tão egoístas,
Servos escroques
De qualquer poder
Por seus interesses
Tão egoístas

Ao pé da cidade
De um Douro a correr,
Que na sua foz,
Mostra águas mistas,
Doces, salgadas…
Sempre a se envolver,
Sempre a correr,
E a se abraçar;
Longe de lacaios,
De puros fascistas.

José Faria

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

PEDALADA A S. MIGUEL - O - ANJO




 

 
 
 
 
 
 
Com forças da minha fonte,
Para a mente alimentar;
Fui ao Anjo lá do monte,
A São Miguel, a pedalar.

Que a Maia a história conte,
Para a perpetuar;
Que daí ao horizonte,
Não há como lá chegar.

A paisagem toda ao léu,
Que se vê até ao mar,
Nem a mente a compreende.

Porque a beleza nos prende,
Beleza só de se amar,
Dessa visão junta ao céu;

 José Faria
30/10/2015