sexta-feira, 16 de junho de 2017

O MANJERICO É QUE SABE



O manjerico tão querido,
Foi eleito para se ver;
Por um povo distraído,
Impedido de crescer.

Não é tido nem ouvido,
E tudo está por fazer;
Mas o manjerico sabido,
Nada tem a oferecer.

Serve-se da humildade
E até da religião,
Para o seu vaso encher;

Sem qualquer utilidade,
Agarra-se à tradição,
Para o São João o ver.

José Faria