quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

DECLAMAR DO SOFÁ DO MONTE


LOUVOR À NATUREZA                 

Vou para o monte,
Porque é no monte
Que sei quem sou.

É no monte à tardinha;
Que encontro a alma do Mundo...
E a minha.

E aí, no monte,
No silêncio do meu olhar,
Deixo o pensamento caminhar.
Sem machucar as flores do monte, Nem conspurcar as águas da fonte.

E aí, no monte,
Deixo-me vaguear no silêncio,
Até às portas da verdade
E da alegria,
Rodeado de vida Envolta em pureza.

E antes de voltar à fantasia, Abraço a terra, Toda a sua grandeza!

E beijo o monte, Num louvor à natureza. 


Sem comentários:

Enviar um comentário