EM SÃO MIGUEL O ANJO

terça-feira, 29 de dezembro de 2020

AO SABOR DA CRENÇA

 

NATAL


Eles andam por aí além,
Pelas areias do deserto;
Seguem a estrela de Belém,
Estão cada vez mais perto.
 
Dizem que vão adorar,
Um menino salvador;
Que vem ao mundo salvar,
Todo o mal e pecador.
 
Já perto de um pardieiro,
De um curral envolto em luz,
Num oásis da natureza;
 
Um pastor chegou primeiro
E os reis prendaram Jesus
Divino de toda a pureza

NOVA CAMINHADA

Vai pensando e pondera,
Sobre o ano que termina:
Que o tempo, o tempo altera,
E novo tempo vem ainda.
 
Não corras, desacelera,
Teu caminhar, tua sina;
Que a vida por ti espera,
Porque tem disciplina.


Educar o pensamento,
Toda a nossa caminhada,
Exige ponderação;


Só não tem caminho o vento,
No espaço e firmamento
Corre em toda a direção
 

segunda-feira, 21 de dezembro de 2020

POETAS VIRGENS



✍️🤲📚📖
- Bocage a 15 de setembro de 1765,
- Faria a 15 de setembro de 1954.
Poeta ousado foi também o cidadão,
A quem me ligo com certa diferença,
Pelo humor revolucionário e devoção,
Entre o Bocage e eu ainda há parecença.
Só a influência do tempo e o chavão,
De uma outra era e de outra crença;
Nos separa do modelo, da intuição,
E da cultura literária sem ofensa.
Há duzentos e quinze anos, partiu o poeta - (21/12/1805)
Cento e quarenta e nove anos depois, nascia eu. (1805 - 1954)
Pelo quinze de setembro somos manos,
De igual literacia e igual treta,
José Faria🤔😏✍️
Nascimento: 15 de setembro de 1765, Setúbal
Falecimento: 21 de dezembro de 1805, Lisboa
Nome completo: Manuel Maria Barbosa l'Hedois du Bocage
Movimento literário: Neoclassicismo

domingo, 13 de dezembro de 2020

SANTA LUZIA E SANTA ODÍLIA

 


Não importa ser-se ateu ou religioso,

Mas as qualidades que sejam de servir;

Informar e ensinar é nobre, honroso,

Para o entendimento florir.

José Faria

 

HISTÓRIAS OU LENDAS

VENERADAS PELOS POVOS

 

Hoje 13 de Dezembro de 2020 celebra-se:

SANTA LUZIA E DE SANTA ODÍLIA

Santa Luzia é assim a santa da visão, a padroeira dos oftalmologistas e das pessoas com problemas de visão.

Santa Luzia, ou Santa Lúcia de Siracusa, nasceu no ano de 283 e faleceu a 13/12/304.

Lúcia perdeu o pai era ainda uma “criança e tendo a mãe doente, Luzia dedicou a sua vida a Cristo e deu todos os bens da sua família aos necessitados. Um abastado jovem pagão, por ela apaixonado, denunciou a sua fé ao imperador, acabando a santa por sofrer martírios por recusar negar a sua crença.

A santa foi atirada ao fogo, mas saiu dele sem marcas. Um soldado tirou-lhe os olhos e entregou-os num prato à santa, mas milagrosamente nasceram novos olhos no seu rosto, ainda mais belos. Após os vários martírios falhados, a santa foi degolada, a 13 de dezembro de 304.

Santa Luzia é assim a santa da visão, a padroeira dos oftalmologistas e das pessoas com problemas de visão.

Foi uma das santas mais populares da Antiguidade, com 20 templos em Roma. Em Portugal encontra-se o Santuário de Santa Luzia no Monte de Santa Luzia, em Viana do Castelo, onde se encontra uma visão magnífica sobre a cidade, o vale, o mar e o rio Lima.

É a 13 de dezembro que se festeja o dia de Santa Odília.

Odília de Alsácia nasceu em Obernai, França, por volta de 660 e faleceu em Hobenbourg, em 720.

Cega de nascença, a santa foi rejeitada pelo pai Aldarico, duque governante de Alsácia, que desejava um filho para o suceder. Odília foi assim entregue a um mosteiro, sendo educada por religiosas.

Aos 12 anos Odília recebeu a visita bispo Heraldo, que se dirigiu ao mosteiro por ordem de um anjo que lhe tinha dito para batizar uma menina cega. As religiosas mostraram-lhe a jovem cega, que o bispo batizou com o nome de Odília, segundo as indicações do anjo, um nome que significa "luz de Deus".

Heraldo batizou Odília dizendo: "que os teus olhos do corpo se abram, como foram abertos os teus olhos da alma". Odília começou milagrosamente a ver e recebeu o dom da profecia, tornando-se numa das grandes místicas cristãs, com previsões assustadoramente reais.

Por intercessão do bispo, Aldarico aceitou receber a filha, mais feliz por já ter um filho chamado Hugo. Com o passar do tempo Aldarico começou a gostar da filha e tentou arranjar-lhe um casamento. Odília, decidida a seguir a vida religiosa, fugiu de casa.

Aldarico decretou o seu perdão e a sua permissão para a filha seguir a vida religiosa, o que a fez regressar a casa. O duque fundou um mosteiro para a filha governar, no castelo de Hohenbourg, junto ao Rio Reno, que recebia inúmeras religiosas.

Junto ao mosteiro Odília fundou um hospital para assistências dos doentes abandonados. Os próprios pais de Odília se refugiaram no mosteiro e foram amparados pela filha até à morte, que transformou os seus castelos em mosteiros ou hospitais.

A santa faleceu a 13 de dezembro de 720, sendo sepultada no mosteiro de Hohenbourg ao qual acorrem muitos fiéis que passam água da fonte do mosteiro nos olhos para se curarem.

Odília é a padroeira da Alsácia. Tal como Santa Luzia, também comemorada neste dia, é invocada contra os problemas de visão.

 Fonte: https://www.calendarr.com/portugal/dia-de-santa-luzia/

sexta-feira, 4 de dezembro de 2020

NOSSO TEMPO


 

Nunca o tempo teve pressa,

Sempre teve o mesmo andar;

Não há tempo que o aborreça,

Nem tempo para descansar.

 

E a sua vida é essa,

De tempo para contar,

A quem ao tempo obedeça,


De o receber, de o dar.

 

Sempre presente e constante,

Mede a vida e a existência

De tudo que já nasceu

 

Conta o que está distante

Dum outro tempo e vivência

Neste tempo meu e teu

 

IV - XII - MMXX -José Faria


O LIDADOR MORREU


Chegaria aos cem anos o timoneiro,

Se não se desse à luta, a batalhar;

Onde com noventa anos foi primeiro,

A tirar a vida a Almoleimar.

 

Continuando mesmo ferido de morte,

Gonçalo Mendes da Maia prosseguiu;

Para mudar aos mouros sua sorte,

Até que muito fraco morto caiu.

 

Tendo em conta sua força e coragem,

E a idade na sua última batalha;

O Lidador é razão de homenagem;

 

Nos maiatos simboliza a linhagem,

De bom povo que luta e que trabalha,

Ainda a Maia lhe presta vassalagem,

 

06/08/2020 - José Faria

MENSAGENS POSTERS POEMAS







 

POSTERS POEMAS

 





DORA E SANTA BÁRBARA

Hoje é dia da DORA
Mas também de Santa Bárbara.
 

A DORA, agitação tormenta,

Está a passar em Portugal;

Mas Santa Bárbara atenta,

Livra-nos de qualquer mal.

José Faria


Porque hoje, 4 de Dezembro, comemora-se e venera-se Santa Bárbara, a santa protetora dos raios, trovões, tempestades, mineiros, artilheiros e de todos aqueles que trabalham com o fogo.

Santa Bárbara nasceu em 280 em Nicomédia, na Turquia. Foi uma virgem e mártir cristã, acusada pelo próprio pai à autoridade romana de seguir o cristianismo.

Bárbara foi torturada para renunciar a sua fé mas não mudou de crenças. Os seus seios foram cortados e a santa foi conduzida para fora da cidade pelo próprio pai, Diáscoro, que a degolou-o.

Segundo a lenda, ao cair a sua cabeça, um relâmpago rasgou os céus e fulminou o corpo de Diáscoro.

Santa Bárbara tornou-se então a santa protetora dos raios, trovões, tempestades, mineiros, artilheiros e de todos aqueles que trabalham com o fogo.