EM SÃO MIGUEL O ANJO

quarta-feira, 28 de outubro de 2020

Primeiras notas no violão

- Enquanto a chuva não passa,

- Dou dedos ao violão;

- Ainda não encontro a graça

- As notas caem ao chão.

🎸🎸🎸


Galinha Pintadinha

SE ESSA RUA FOSSE MINHA

Se essa rua, se essa rua fosse minha

Eu mandava, eu mandava ladrilhar

Com pedrinhas, com pedrinhas de brilhantes

Para o meu, para o meu amor passar


Nessa rua, nessa rua tem um bosque

Que se chama, que se chama solidão

Dentro dele, dentro dele mora um anjo

Que roubou, que roubou meu coração


Se eu roubei, se eu roubei teu coração

É porque, é porque te quero bem

Se eu roubei, se eu roubei teu coração

É porque tu roubaste o meu também


Se essa rua, se essa rua fosse minha

Eu mandava, eu mandava ladrilhar

Com pedrinhas, com pedrinhas de brilhantes

Para o meu, para o meu amor passar


Nessa rua, nessa rua tem…


Fonte: Musixmatch


Com a mesma música dei voltas à poesia e dei-lhe outra mensagem e mais valia:


JORNADA DA VIDA


Esta vida, esta vida nos foi dada,

E por ela devemos agradecer;

Que a natureza é vida e é sagrada,

Que devemos cuidar e defender.


É a terra onde nascemos a murada,

E as leis naturais a obedecer;

Sempre que a terra fique adoentada,

Também nós ficamos a padecer.


A procura que por todos é travada,

Pela paz, sustento e seu prazer,

É na graça da vida que é sempre louvada,

Que o amor sempre andou a defender.


Voltaremos ao que fomos, tudo e nada,

Às origens nos iremos recolher;

Que esta nossa existência e nossa jornada,

Deixe à vida mais terra e prazer.


José Faria

✍️🎸📚

(Música de “se esta rua fosse minha… de Maria Bethânia)

terça-feira, 27 de outubro de 2020

FELIZ DEFUNTO

 

FELIZ DEFUNTO

 

Perguntou o extinto todo esticado,

- Que veio esta gente aqui fazer?

E esperou ali resposta encaixotado,

Ninguém o ouviu ou não quis responder.

 

Ele estava ali composto e apagado;

Neste mundo deixara de viver;

Mesmo finado estava admirado,

Da gente, que morto, o fora ver.

 

Quando no peito lhe batia o coração,

Semeando em vida o seu agrado,

Era ignorado por esta maioria;

 

Defunto agora tem a consolação,

De ter muitos amigos a seu lado,

Com flores, respeito… hipocrisia.

José Faria

 

segunda-feira, 26 de outubro de 2020

O SOM DE OUTONO

O outono anda na lida,

A pintar a toda a hora;

As folhas no fim de vida

E depois deita-as fora.

 

Mas antes disso, a arte,

De calmas cores e beleza;

Anda por toda a parte,

Doce paz da natureza.

 

Fui o voo dedilhar,

Das folhas soltas ao vento,

Perdidas no seu perecer;

 

O saber do pensamento,

Não as soube acompanhar,

Falta de conhecimento.

José Faria

 

AMAI A TERRA

 

 AMAI A TERRA

 

Eu sou a mãe terra, sou a natureza,

Sou o sol, a verdade e a razão;

Sou o fogo, sou água, sou a grandeza,

A floresta, a respiração.

 

Sou tudo o que nasce, sou pureza,

Sou tudo que no planeta é criação;

Eu sou a vida, a vossa fortaleza,

Eu sou a vossa alimentação.

 

Sou a existência, o Deus e a oração.

O mito e a verdade que enobrece,

Os que me respeitam e me adoram;

 

De todas as vidas que na terra moram,

Sou o milagre que permanece,

Eu sou a verdade e sou a razão.

02/04/202 - José Faria


O CASTIGO

 

Em dois mil e vinte grita o despertar,

O aviso severo sobre a humanidade

Obrigando-a a pausar, ter que parar,

Para que a mãe terra se possa curar,

De toda a agressão à divindade.

 

O aviso e castigo está a germinar,

Em propagação com celeridade;

O planeta quer-se harmonizar,

A espécie humana anda a castigar,

Exige existência com mais sanidade.

 

E vai respirando enquanto castiga,

Vai-se limpando e despoluindo,

Mantendo o homem enclausurado;

 

A ficar quieto e sem fadiga,

Invisível castigo a isso obriga

A manter na terra tudo parado.

José Faria   

sábado, 24 de outubro de 2020

A BICHA MOURA DA MAIA

 - PORQUE A BICHA UM DIA CHEGOU À MAIA!?

"A lenda da Bicha Moura (ou Pedra Moura), refere-se ao Coteiro do Crasto (Monte do Crasto), onde se diz que uma Moura infeliz teria sido transformada em bicha, devido a erros cometidos.
Neste local existia um grande rochedo tão voltado para o caminho que, diz-se, parecia poder rolar por ali abaixo a qualquer momento. Seria em cima deste penedo que a Bicha Moura – enorme, e metade mulher metade réptil – apareceria em noites de luar pela meia-noite ou até mesmo durante o dia. Aí penteava os seus longos cabelos com um pente de ouro e ao deslocar-se deixava um rasto dourado. Ninguém podia aproximar-se dela, pois corria o risco de se transformar em bicha ou mesmo em pedra. Esta convicção inspirava medo em muitos madalenenses e o respeito de todos. Diz-se também que a Bicha podia tomar a forma humana, de sereia com cabelos compridos ." (https://pt.wikipedia.org/wiki/Madalena_(Vila_Nova_de_Gaia))
- E PORQUE UM DIA ALGUÉM EM SÃO PEDRO DE AVIOSO, NA MAIA, SE LEMBROU DE ESPALHAR A MESMA LENDA, DIVULGADA POR UM JORNAL LOCAL... DEI-ME AO CUIDADO, COM BASE NA NOTÍCIA, DE LHE DAR MAIS ÊNFASE COM ESTES VERSOS DESCRITIVOS, CONFORME CONTOU O PIELA SOBRE A BICHA MOURA.
A BICHA MOURA
DE SANTA MARIA DE AVISO
Em Santa Maria de Avioso,
Ou na sua proximidade;
Caminhava pesaroso.
Um homem de meia-idade.
Era um operário caloso,
De paz e de humildade,
Que certo dia trabalhoso,
Bebeu mais em quantidade.
Era noite e ao regressar,
Já depois de bem bebido;
Ficou parado a escutar,
Entre o silvado um gemido.
Não sabendo se de gente,
Ou de alguma cantadoura,
Imaginou de repente,
Ser grito de Bicha-Moura.
Sem saber o que fazer,
Pôs-se dali a andar;
Foi dormir, se recolher,
Vestido se foi deitar.
De manhã, mal acordou,
Ainda meio entorpecido;
Foi ao tasco onde contou,
O que lhe tinha acontecido.
Começou logo a dizer,
A quem estava presente;
A Bicha-Moura anda a comer,
Galinhas de toda a gente.
A história e a descrição,
Do trolha meio piela;
Correu na população,
E ainda se fala dela.
Havia até quem dissesse,
Que aquela bicha encantava;
Como se beleza tivesse,
E que qualquer um domava.
Mas isso nunca existiu,
Nem gemidos, gritos dela;
Nunca ninguém viu ou ouviu,
Foram invenções do piela.
José Faria

segunda-feira, 19 de outubro de 2020

QUADRUPLO


 

É na criatividade

Com a tua identidade

Que te podes divertir,

 

E com a mesma igualdade,

Na multiplicidade,

Deves sempre interagir.

 

Manter a integridade

É dever, é lealdade

Para se poder prosseguir,

 

Sempre a existência te agrade,

O mistério, a santidade

Mantenha a vida a sorrir.

José Faria

 

domingo, 18 de outubro de 2020

HISTÓRIA DE PEDROUÇOS - MAIA



                                            TERRA DE PETRAUZOS
 
    Foi já cidade, disseram assim dela,
    Religiosa sempre a sua gente;
    Edificaram certo dia uma capela,
    Guardando lá o Omnipotente.
    Uma Via Sacra logo, posteriormente,

    Espalharam por uma e outra ruela,
    Servindo povo com amor e fielmente,
    Indicando o caminho à terra crente;
    Antepassado nosso povo de outra era.

    De Pedrouzos e Petrauzos fala a história,
    Enquanto o tempo não perder memória.
 
    Passaram anos, séculos, até lembrança;
    E os filhos continuam sempre novos;
    De geração em geração nova esperança,
    Renovando a lei da vida e a dos povos.
    Ouvimos hoje um novo pensamento,
    Um mais saber da vida bem diferente;
    Contudo conta mais a história, o tempo;
    Obrigando-nos a assumir, pois é urgente,
    Servindo mais, com mais discernimento.
 
             José Faria