quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

SER OU NÃO SER...

 


Lembrar-te a ti, amigo?
Já o fiz outrora,
Te lembro hoje
Como o faço agora,
Se a cara viras,
Não me queres contigo,
Nem escutas
O que de bem te digo:
Ou não existes
Ou estás por fora.

Só não desiste,
Quem ainda está vivo,
E que se evita
De andar à nora:
Quem faz da vida
E carência o livro,
Da dura lida
A melhor escola.

Se todos seguem
Para onde eu sigo,
Que fica além
D’onde a gente mora:
Sejamos antes
Do caminho findo,
Algo futuro,
Saudade de agora.

É a família
Núcleo mais pequeno,
E mais antigo;
Desde a pré-história!
Razão de um país
E do mundo inteiro,
Onde cada um
Deve ser obreiro,
E cada um
Comum memória.
José Faria

Sem comentários:

Enviar um comentário