quarta-feira, 22 de março de 2017

GRANIZO NA PRIMAVERA



Quando do tempo menos se espera,
Ele muda de rosto e perde o sorriso;
E o sol alegre de Primavera,
Dá lugar a chuva, frio e granizo.

E o novo fruto que da terra aparecera,
Pelas mãos do suor, o pão que é preciso;
É o bem da lavoura que se perdera,
Deixa de novo todo o espaço liso.

Perdem-se culturas que a neve queimou,
Diz-se do arejo que semeia dor,
Repentina descida da temperatura;

O chão removido por quem labutou,
Chora o seu trabalho que esteve em flor;
E a perda de toda a sua cultura.


José Faria 22/03/2017

Sem comentários:

Enviar um comentário