segunda-feira, 4 de junho de 2018

MONTE CRASTO - GONDOMAR

AS ORIGENS DO MONTE CRASTO
(S. COSME, GONDOMAR)
O Monte Crasto é um dos locais mais emblemáticos de todo o concelho de Gondomar. Desde 1757, que é administrado pela Confraria de Sto. Isidoro e Nossa Sra. da Lapa.Pouco se sabe, concretamente, das origens do seu povoamento.No entanto, uns achados de dois conjuntos antigos de uns bronzes, numismáticos,   umas moedas da era romana, situa-nos na época, da segunda metade do século, nos reinados II e III de Claudius e Gallienus, respetivamente,  e também de Valentinianus, do reinado III.Tradicionalmente, diz-se que o Monte Crasto é de origem pré-romana.Deixo-vos apenas isto por mote de motivação, para que se interessem pelas estórias da nossa história e para que visitem o Monte Crasto.
Ora, tem sido, graças à prática desportiva de cicloturismo, pela minha saúde e bem-estar, física e intelectual,… e pelo prazer de ver, conhecer, descobrir e admirar, que venho muitas vezes aqui, para estar mais pertinho do céu de Gondomar.Assim como tenho visitado muitas vezes outras proximidades do céu, como as do céu da Maia, junto a São Miguel o Anjo, e do céu de Paços de Ferreira, na Citânia de Sanfins, e de tantos outros céus que se encontram nas minhas rotas.E nestas pedaladas, ciclo turísticas, sempre que a disposição e a inspiração me permitem, tento realçar sempre essas 3 grandezas:
A desportiva, a Histórica e a cultural, através da mensagem poética, que se reveste das anteriores.Por isso, cá está essa mensagem:
VISITA A MONTE CRASTO

Vim ao Monte Crasto ter,
Junto ao céu de Gondomar;
Por desporto e por laser,
Pela abrangência do olhar.
Das muralhas posso ver,
A comunidade a girar;
E o concelho a crescer,
O progresso a germinar.
E nos ventos do dever,
No desporto a pedalar,
É para mim um prazer,
O gosto de promover,
E o património divulgar.
José Faria

segunda-feira, 28 de maio de 2018

DIA DA MULHER



(já passou!)

Apareceram tantos “justos” com hipocrisia,
Donos e senhores de oportunismo consciente;
Escolhidos e eleitos pela democracia,
Para elogiar a mulher, o ser mais valente.

Até a violência doméstica, quem diria!?
Em tantas mulheres, milagrosamente!?
Parou para comemorar com alegria…
Mas já tudo voltou ao antigamente.

Já esqueceram o elogia, porca mente,
Já só da reunião de pose bem montada, 
Sobrou desse momento a fotografia.

E já desse dia se esqueceu essa gente;
A mulher mãe continua explorada,
É a maior vítima do dia-a-dia.

José Faria